Publicado por André Luiz Melo
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

De origem europeia, a berberis é uma planta nativa de países como França e Espanha. A mesma é dotada de inúmeras propriedades medicinais, as quais desempenham importante função no que diz respeito a uma boa qualidade de vida.

Entre as principais que atuam no organismo humano por meio deste vegetal, destacam-se as ações: estimulante do apetite, tônica, aperitiva, digestiva, depurativa, mineralizante, diurética e calmante. Além dessa planta ser classificada como uma excelente antimicrobiana, gástrica, laxativa, refrescante, antipirética, aperiente e espasmolítica.

Benefícios

A berberis é uma planta cujos princípios ativos são recomendados, sobretudo, para o tratamento e prevenção de vários transtornos de saúde causados por afecções. A seguir, veja na lista o nome de cada uma dessas doenças.

Indicações de uso da berberis

Planta é capaz de atuar na prevenção e combate de:

Afecção do fígado;
Cálculos urinários;
Diarreia;
Dispepsias hiposecretoras;
Disquinesia;
Espasmos gastrointestinais;
Estômago;
Falta de apetite;
Febre;
Febre malárica;
Hipertensão;
Icterícia;
Inflamação da boca;
Intestino;
Litíase biliar;
Perturbações circulatórias;
Perturbações renais;
Vesícula.

Berberis: benefícios desta planta para saúde humana

Foto: Reprodução/ internet

Propriedades medicinais do vegetal berberis

Antimicrobiano;
Antipirético;
Aperiente;
Colagogo;
Colerético;
Diurética;
Eupéptico;
Espasmolítico;
Gástrica;
Hipotensora;
Laxante (frutos);
Oxitócico;
Protozoocida;
Refrescante (frutos);
Tônico amargo.

Berberis e seus princípios ativos

Alcaloides;
Dextrosa;
Levulosa;
Ácido cítrico;
Tartárico e málico;
Goma;
Pectosa.

Cuidados e contraindicações

Uma planta bastante benéfica e bem-vinda para o organismo humano. Assim é a berberis. Entretanto, se consumida em excesso, sobretudo por meio da bebida feita com suas folhas, flores, cascas de raízes e frutos, a mesma perde a essência benéfica e é capaz de provocar inúmeros transtornos para a saúde do indivíduo.

Entre os problemas decorrentes da ingestão exagerada desse vegetal, pode-se destacar a diarreia, assim como intoxicação, vômitos, paralisia do sistema respiratório, afecção renal e náuseas.

Ressalta-se ainda que, gestantes e mulheres que estejam em períodos de amamentação, bem como pessoas vítimas de obstrução das vias biliares, não devem, em hipótese alguma, fazer uso desta planta ou de produtos derivados desta.

Veja mais!