Publicado por Natália Petrin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

De nome científico Marrubium vulgare, o marroio é uma planta da família das Labiadas. Nativa da Europa e da Ásia, podendo também ser encontrada na América do Norte e do Sul, a planta pode atingir os 60 cm de altura e suas folhas são codiformes e em forma de favos felpudos. Suas flores possuem coloração branco amarelada que crescem em cachos, florescendo no verão. O marroio cresce bem em terrenos secos e áridos, sendo facilmente encontrada em campos, caminhos, entulhos e bases de entulhos. Também conhecida como hortelã do maranhão ou hortelã da folha grossa, o marroio pode ser encontrado para venda em lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação.

Marroio - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

Propriedades e benefícios

Sua aplicação na medicina envolve suas propriedades digestiva, expectorante, colerética, antipirética, fluidificante, calmante da tosse, febrífuga, antisséptica, tônica para o estômago e vasodilatadora. Seu consumo é muito indicado para tratamento de tosse, bronquite, sintomas dispépticos associados a disfunção hepatobiliar, perda de apetite, flatulência e dispepsia com enfartamento. Quando consumida antes das refeições, a planta ajuda no tratamento de problemas no fígado, falta de apetite e anorexia.

Chá de marroio

Para preparar o chá, use a proporção de uma colher de sobremesa da erva para cada xícara de água. Em um recipiente, leve a água ao fogo e aguarde alcançar fervura. Em seguida, em outro recipiente, coloque o marroio e derrame a água por cima. Tampe e aguarde amornar, coando e consumindo em seguida. A dose indicada é de três xícaras ao dia, sempre antes das refeições.

Outras formas de consumo

A planta pode ser consumida ainda misturada ao vinho. Para isso, macere 60 g da planta seca em um litro de vinho. Consuma apenas 150 g ao dia. Quando em forma de tintura, consuma uma ou duas vezes ao dia, entre 50 e 100 gotas. A cápsula com 100g deve ser consumida entre uma e cinco vezes ao dia. Para saber a dose ideal, antes de iniciar o tratamento consulte sempre um médico

Contraindicações e precauções

A planta possui constituintes amargos e, por isso, não é muito bem tolerada por pacientes que tem problemas de gastroenterites, ou ainda síndromes com náuseas e vômitos. O consumo não deve ser feito por gestantes, pois o marroio possui efeitos abortivos – ainda não comprovados. É contraindicada também para pacientes que tenham problemas com cálculos biliares.

Em caso de superdosagem, a planta pode causar irregularidades cardíacas. Se houver consumo excessivo, consulte um médico.

Veja mais!