Publicado por Katharyne Bezerra
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Originada na China, a Magnólia é uma planta que exibe uma beleza atraente. Além disso, se torna um excelente remédio caseiro no combate de diversas doenças que afetam o organismo humano. A árvore cresce em torno de 20 metros de altura, possui uma casca marrom e bastante grossa. Suas folhas são grandes e ovais, enquanto as flores são perfumadas, podem ser da cor branca ou rosa e é exatamente dessa mesma parte que é produzido o chá capaz de combater patologias, à exemplo do Alzheimer.

Todos os princípios ativos e as propriedades medicinais da planta fazem dela um excelente remédio natural. Além disso, não há contraindicação e nem cuidados extras ao consumir o chá proveniente dela, tendo em vista que de que a planta é atóxica quando usada por via oral, isso significa dizer que ela não é tóxica e que não faz mal à saúde.

Magnólia e seus inúmeros benefícios para a saúde corporal

Foto: Reprodução/ internet

Importância da composição da magnólia

Um dos problemas mais comuns na sociedade atual é o estresse, esse problema que já se tornou o mal do século XXI pode ser combatido com o chá feito através da magnólia. Isso porque a planta possui propriedades sedativa e tônica, desta forma ao mesmo tempo que relaxa o organismo também o revigora, lhe proporcionando mais vontade.

A ansiedade é outra perturbação combatida com a infusão feita dessa planta, graças a uma substância chamada honokiol e a sua ação ansiolítica. Esse distúrbio está relacionado também com as elevações do hormônio cortisol, mas também são combatidos. Além disso, serve como tranquilizante para pacientes idosos com início de sintomas caracterizados por um declínio progressivo das funções intelectuais.

Consumir o chá de magnólia diariamente ajuda prevenir o surgimento e desenvolvimento da doença conhecida como Alzheimer. A planta consegue liberar mais quantidade de acetilcolina, molécula responsável pela passagem do impulso nervoso dos neurônios para as células musculares. Essa substância consegue então quebrar um “inimigo”, chamado de acetilcolinesterase, que se não destruído atrapalha a função da acetilcolina e, por isso, causa o esquecimento gradativo, principal sintoma dessa patologia.

Outras atuações da magnólia

A planta apresenta, além de todos os outros quesitos mencionados, as ações de antibacteriana, adstringente, antiespasmódica, febrífuga, antiparasitária, antisséptica, aromática, digestiva, diurética, estimulante, carminativa, hipertensora, relaxante muscular, sedativa, tônica e antivirótica.

Veja mais!