Publicado por Priscila Melo
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

A palavra jenipapo, em tupi guarani, significa fruta que mancha ou que faz tintura, uma fruta que serve para pintar. Antigamente essa fruta era usada pelos índios para pintar o corpo, eles usavam o suco dela e além de permanecer na pele por vários dias, essa tintura ainda protegia contra os insetos. Mas os benefícios do jenipapo vão muito além. Conheça um pouco mais sobre essa fruta.

Origem

O jenipapo é originário da América Central e da Índia Ocidental. Essa planta pertence à família das Rubiaceae e é conhecida cientificamente como Genipa americana. Ela prefere terrenos argilosos e úmidos, desenvolvendo-se em solos profundos e drenados. É muito comum encontrar o jenipapo no Brasil. Entre os seus nomes populares podemos citar: jenipa, jenipapeiro, jenipapo da américa, jenipaba.

Características

É uma árvore que geralmente é alta e que possui caule ereto, com aproximadamente 15 metros de altura, sua ramificação é alta, seus ramos são numerosos e fortes, de casca lisa, espessa, cinzento-esverdeada e com manchas cinza mais claras. As suas folhas são verdes escuras, com superfícies e margens lisas e se apresentam agrupadas no extremo dos ramos. As flores são grandes e bonitas, são brancas e logo que se abrem tornam-se amarelas, levemente aromáticas.

Jenipapo é rico em ferro e cura anemia!

Foto: Reprodução

Propriedades e uso

O jenipapo possui uma grande quantidade de ferro em sua composição, além de cálcio, hidratos de carbono, água, vitaminas B1, B2, B5 e C. Entre as suas propriedades podemos citar: laxante, digestivo, tônico e hepático.

O suco da fruta é indicado para combater a anemia decorrente do impaludismo ou das verminoses. Faz bem a pessoas que possuem asma, é um ótimo diurético, muito aconselhado nos casos de hidropisia. Esse suco ainda pode ser usado no controle de plaquetas do sangue em pacientes que fazem quimioterapia e/ou radioterapia.

O jenipapo é usado ainda para eliminar os males do fígado e do baço, amigdalite, diarreia, doenças venéreas, sífilis, faringite, úlceras e vômitos. É possível utilizar suas folhas, casca, raiz e polpa. Essa última possui um cheiro forte, é muito ácida, mas ainda assim comestível, geralmente é utilizada na forma de compotas, sucos, doces, xaropes, bebida refrigerante e licor.

Contraindicações e efeitos colaterais

Até o momento não foram registradas contraindicações ou efeitos colaterais a respeito do uso dessa fruta, porém o consumo em excesso de qualquer tipo de alimento pode vir a causar danos.

Veja mais!