Ginkgo biloba – Benefícios e propriedades

Primeira planta a brotar após a explosão da bomba atômica que destruiu Hiroshima, a ginkgo biloba tornou-se famosa em diversos países por suas propriedades benéficas ao ser humano. Seu extrato foi tema de diversos estudos e pesquisas científicas, que comprovaram sua eficácia e lhe passaram a credibilidade necessária para fazer parte da rotina diária de boa parte da população, em especial os idosos.

Ginkgo biloba - Benefícios e propriedades

Imagem: Reprodução

Quais as propriedades e benefícios da ginkgo biloba

Como substância estimulante ao cérebro, a ginkgo biloba trabalha como facilitadora do fluxo sanguíneo cerebral, periférico e arterial, protegendo as veias capilares e ativando o metabolismo neuronal. Favorece ainda a ativação do metabolismo energético, regula os mecanismos circulatórios e ainda funciona como antioxidante, impedindo o envelhecimento precoce e excessivo por combater os radicais livres.

Já foi comprovado que o extrato da planta refresca a memória, acabada com o zumbido do ouvido por irrigar e oxigenar melhor o labirinto, parte da estrutura do ouvido, por este motivo também reduz as tonturas, e alivia dores nos braços e pernas por tornar o fluxo sanguíneo mais intenso. Além de tantos benefícios, laboratórios comprovaram também que ginkgo biloba ataca tumores existentes e previne o organismo de que novos tumores o acometam.

Quem pode tomar e como?

Embora os efeitos colaterais devidos ao ginkgo biloba sejam raros, eles existem e não podem ser desconsiderados. Tanto que a planta em sua versão cápsula é considerada medicamento de tarja vermelha e só pode ser adquirida mediante receita médica. Isto se dá pois, em alguns casos, pode ocasionar enxaqueca e alergias, por aumentar a sensibilidade da pele ao dilatar os vasos. A possibilidade disto acontecer aumenta no caso das folhas para chá, que possuem grande quantia de ácido, podendo irritar a pele, além de ter sua eficácia questionada neste formato. Assim, caso deseje tomar ginkgo biloba e acredite ser acometido de algum problema que possa ser solucionado por ela, procure um médico de confiança, exponha a situação e ele decidirá, mediante exames e avaliações, se ela de fato é a melhor opção para você. Nas primeiras semanas de uso, fique atento aos efeitos que ela vem causando ao organismo, principalmente no que tange a pressão arterial e distúrbios gastrointestinais. Qualquer suspeita, interrompa o uso e consulte novamente seu médico.