Publicado por Débora Silva
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

A aspirina, também conhecida pela sigla AAS, é um dos medicamentos mais famosos à base de ácido acetilsalicílico, possuindo propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antitérmicas. O fármaco é usado para tratamento de dores de cabeça, cólicas menstruais, dores musculares e alguns processos inflamatórios agudos, como traumas, ou crônicos, como artrite reumatoide. Neste artigo, conheça algumas plantas que podem ter os mesmos efeitos que a aspirina.

Ervas como alternativas para a aspirina

Pesquisas apontam que a hortelã brasileira possui a capacidade de reduzir a dor tanto quanto a aspirina e outros analgésicos convencionais. Para isso, basta preparar uma infusão da erva para tratar dores de estômago, dores de cabeça e dores menstruais.

Confira a seguir quais são as alternativas naturais para a aspirina:

Cúrcuma

A curcumina é o ingrediente ativo da cúrcuma e, se for tomada corretamente, proporcionará alívio para as dores inflamatórias. O ingrediente ativo em cápsulas revestidas com piperina (ingrediente ativo da pimenta preta) aumenta a absorção de nutrientes e, por este motivo, é boa para manter a saúde do estômago.

Alternativas naturais para a aspirina

Foto: Reprodução/ internet

Noz de cola

Assim como a aspirina, a noz de cola contém salicina, um composto com propriedades anticoagulantes e analgésicas. Após ser ingerida, a salicina presente na noz de cola é transformada em ácido salicílico, o qual dilui o sangue e impede a sua coagulação. Desta maneira, a noz de cola pode evitar um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral isquêmico.

Unha-do-diabo

A unha do diabo, também conhecida como harpagófito ou garra-do-diabo, é uma planta rastejante originária das savanas da Namíbia, Botswana e África do Sul. Os compostos ativos da planta possuem ação anti-inflamatória, mostrando-se eficaz no tratamento de casos de artrite, tendinite e dores musculares.

Salva-do-marajó

A salva-do-marajó (hyptis crenata) é comumente utilizada na medicina popular para tratar dores leves, porém só foi submetida a testes científicos há pouco tempo. Para descobrir a eficácia da erva como um analgésico, alguns estudiosos da Universidade de Newcastle consultaram curandeiros brasileiros para saber a respeito do preparo de seu chá. Depois eles prepararam uma solução para testes com ratos, contendo a dosagem equivalente a que a maioria dos curandeiros oferecia para os pacientes. Com a experiência, os pesquisadores descobriram que os efeitos da planta são similares aos da aspirina.

Precauções

Lembre-se que as plantas possuem princípios ativos que podem causar efeitos colaterais, de leves a muito sérios. Por este motivo, sempre consulte um especialista antes de iniciar qualquer tratamento, inclusive o natural.

Veja mais!